01

Entendendo sobre as configurações de ISO

Na tradicional fotografia (película) ISO (ou ASA) era a indicação de como uma película era sensível à luz. É medido em números (você provavelmente já viu em filmes – 100, 200, 400, 800 etc). Quanto menor o número, menor a sensibilidade do filme e mais fino o grão nas suas fotos.

Na fotografia digital ISO mede a sensibilidade do sensor de imagem. Os mesmos princípios se aplicam como na fotografia de filme –  quanto menor o número, menor a sensibilidade e mais fino será os grãos. Configurações de ISO mais elevadas são geralmente utilizados em situações mais escuras para obter velocidades do obturador mais rápida (por exemplo um evento de esportes em um local coberto, ae você deseja congelar a ação, com pouca iluminação) – no entanto o custo é que as fotografias será com mais grãos. Para exemplificar segue abaixo uma fotografia com ISO diferente.

Configuração do ISO
O da esquerda está com um ISO 100 e o da direita em ISO 3200.

ISO 100 é geralmente aceito como ‘normal’ e lhe dará lindas fotos nítidas (pouco ruído / grão).

A maioria das pessoas tendem a manter suas câmeras digitais em “Modo Auto”, onde a câmera seleciona a configuração de ISO adequado, dependendo das condições que você está fotografando (ela vai tentar manter o mais baixo possível), mas a maioria das câmeras também lhe dará a oportunidade de selecionar ISO manualmente.

Quando for usar sua câmera e escolher uma configuração de ISO, você vai notar que ela vai  impactar na abertura e velocidade necessária para fotografar. Por exemplo – se você colidisse o seu ISO de 100 para 400 você vai perceber que você pode disparar em alta velocidade e / ou menor aberturas.

Ao escolher a configuração ISO geralmente eu me pergunto:

  • Luz – O assunto é bem iluminado?
  • Grãos – Eu quero uma foto granulada ou sem?
  • Tripé – Estou usando um tripé?
  • Movimento – Meu assunto está em movimento ou parado?

ISO é um aspecto importante da fotografia digital, para ter maior compreensão e ganhar mais controle de sua câmera digital experimente diferentes configurações e como elas impactam nas suas imagens hoje.

Leia Mais

Ter uma câmera cara não faz de ninguém um bom fotógrafo.

escolha certo

Em primeiro lugar peço desculpas pelo longo tempo sem postar nenhuma notícia, novidade e burburinho do mundo fotográfico. Essa pausa foi interessante que me fez escolher 55 temas para postar durante as próximas semanas e dar aquela “cafeinada” nos posts, afinal esse blog se propõem em falar de fotografia e de um ícone nacional: o café.

Vamos falar sobre a mítica que envolve sobre quais equipamentos escolher, uma vez escutei que isso é uma doença que pega em até profissionais de peso que é a “equipamentite aguda”. A grande maioria que está aprendendo fotografia acredita que equipamentos caros ira fazer a diferença, em certa parte pode ate fazer, mais não é a primícia da boa fotografia. Tenha em mente que a fotografia é uma arte e quem faz a arte não é o equipamento, mais sim, o ser humano por trás de uma câmera.

Neste post não tenho a pretensão de criar comparações entre modelos A e B,  pois existe milhares de site de rewies muitos bons por sinal para isso. Porém a minha proposta e criar uma ideia do quem está envolvido na escolha e de que fatores devem ser analisados.

Quem está atrás da câmera

A escolha vai depender de quem está capturando, uma pessoa que tem o um bom olhar com uma câmera “Simples” irá registrar ótimas cenas ao contrario um com uma câmera de ponta ira fazer fotos razoáveis.

Equipamento com muitos recursos para alguém que não quer ter trabalho para operar sugiro entrar na linha das compactas ou powershot, não compre câmeras com lentes intercambiáveis e com cheios de recursos que você não vai tirar proveito e e vai ficar com ela sempre no Auto e isso vai ser uma heresia!rsrs .

Se não quer ter trabalho, gasta tempo, dinheiro com lentes, acessórios e livros não entre na onda de Semi-Profissionais, porque você gosta um “pouquinho” de fotografia ou porque meu parente tem uma, fuja pois não será de muita serventia.

Por outro lado se você já deseja se enveredar pelo mundo fotográfico pois aprecia e tem o desejo de aumentar seus estudos e sempre que pega uma câmera coloca no controle manual para saber como funciona os recursos como abertura, ISO, diafragma, etc recomendo entrar nas Rebel da Canon ou nas Nikon D3000 em diante.

Defina!

Definido quem é quem fica mais fácil, certo? Bom para a galera que já fotografa e deseja se aprofundar/Melhorar tenha em mente qual estilo fotográfico você vai seguir/escolher, pois se vai ser em studio, paisagem, retrato, evento, … desta forma irá  influenciar no seu equipamento e acessórios. Por exemplo: galera que fotografa em studio precisa de qualidade de imagem para impressão com diversas finalidades, porém conheço alguns que trabalham com rebel pois tem o ambiente de luz controlada e por isso não necessita ter  ISO muito alto para entregar bons trabalhos (pois essa câmera gera um alto ruído). Distinto de quem vai fotografar esporte, pois não vai ter luz controlada e o seu assunto vai estar em movimentação em grande parte das fotos.

Saiba escolher seu perfil.

Escolha…

Com isso já esclarecido agora e começar estudar mais detalhadamente cada estilo fotográfico e começar a pesquisar preços e conversar com que já fotografa para receber uns feedback interessantes.

Mas se você possui algum equipamento, tenha em mente que este é o melhor! Não cai na tentação de querer trocar assim que sai o modelo novo. Pergunte- se de maneira sincera: “Estou utilizando 100% minha câmera e seus recursos? Estou tendo a REAL necessidade de trocar devida a limitações que não tenho como transpor? Reflita sobre isso.

Bom acho que deu para ter uma pequena ideia do que escolher, provavelmente está lendo muito sobre isso, então continue a pesquisar para tomar uma sabia decisão.

Agora, deixe seu comentário sobre que equipamento você tem e porque escolher ele, valeu galera.

Leia Mais

Dicas de Fotografia # 4: Componha a sua fotografia com cuidado.

Regra dos Terços - Fotografia Café

Mesmo que você não esteja planejando vender sua foto para o Smithsonian, faça todo o esforço para mantê-la equilibrada e bonita. Em um nível ou outro, todo aprecia melhor uma imagem que está com os elementos em equilíbrio.
Esforce-se para direcionar os olhos dos seus espectadores ao longo de um caminho interessante através de sua fotografia, com a utilização de linhas fortes ou padrões.

Mantenha o nível do horizonte.!

Trabalhe com a regra dos Terços!

Corte os elementos extras que você não está interessado!
Conscientemente coloque o assunto em que você acha que pertence a sua composição ao invés de apenas aceitá-lo onde quer que ele esteja.

Jogue com as perspectiva de modo que todas as linhas mostrem um padrão e ofereça um olhar único que é única e exclusivamente o seu.

Conheça algumas composições:

Fotografia Café - Linhas Verticais
Foto por Amy Helene Johansson

Linhas Verticais: Linhas verticais dirigem os olhos a lerem a cena para cima e/ou para baixo.
São linhas que passam a sensação de altura e rigidez.

 

Linhas Horizontais - Fotografia Cafeé
Foto por Mircea Marinescu

Linhas Horizontais: As linhas horizontais passam a sensação de largura e estabilidade.

 

Composição Fibonacci - Fotografia Café
Foto por Jake Garn

ESPIRAL DOURADO ou RETÂNGULO DOURADO (Golden Spiral ou Golden Rectangle): Assim como a Regra dos Terço e o Triângulo Dourado, a Espiral Dourada serve de orientação para a composição de fotografias.

 

Leia Mais

Dicas de Fotografia # 1: Aproxime-se mais!

Movimente-se para ter melhores ângulos!

Cada vez que você encontrar um assunto, tire uma foto e então mova-se o mais perto possível para um melhor disparo. Tendo o assunto quase preenchido no quadro, ajuda a seu espectador compreender e apreciar a sua foto. Além disso, os detalhes são muitas vezes mais interessantes do que uma visão global.

Mantenha-se em movimento para ter vários ângulos até que tenha certeza que sua foto tenha sucesso e represente o seu olhar!

Leia Mais

O Triângulo da Exposição

No livro Entendendo a Exposição de Bryan Peterson ele ilustra os três principais elementos que precisam ser considerados quando se brinca com a exposição, chamando-os “o triângulo da exposição”, é um ótimo livro para você que está querendo se aventurar fora do modo automático em sua câmera digital e experimentar as configurações manuais.

Cada um dos três aspectos do triângulo se relaciona com luz e como ela entra e interage com a câmera.

Os três elementos são:

ISO – Forma de medir a sensibilidade do sensor em uma câmera.

Abertura – o tamanho da abertura na lente quando uma fotografia é tirada

Velocidade de obturação – a quantidade de tempo que o obturador é aberto

É neste momento da intersecção destes três elementos que a exposição de uma imagem é trabalhada.

Com isso em mente, qualquer mudança em um dos elementos terá impacto direto nas outras duas. Desta forma significa que você nunca pode realmente isolar apenas um dos elementos por si só, para tirar uma bela fotografia.

Vamos ilustrar isso da seguinte forma:

Jenela
Abertura - ISO - Exposição

Imagine a sua DSLR como uma janela com persianas que pode ser abertas ou fechadas. A abertura é o tamanho da janela.  Quanto mais luz entra, mais clara fica sua sala.

Agora a velocidade do obturador é a quantidade de tempo que as suas persianas estão abertas. Quanto mais você tempo deixar elas abertas mais luz entra.  Agora imagine que você está dentro da sala e está usando óculos de sol, com isso seus olhos tornam-se insensíveis à luz que entra isso é como um ISO baixo.

Agora tem varias maneiras de aumentar a quantidade de luz na sala. Pode-se aumentar o tempo que as persianas estão abertas (diminuir a velocidade do obturador), pode aumentar o tamanho da janela (abertura) ou você poderia tirar os óculos de sol (aumentando o ISO).

 Agora Junte Tudo 

Dominar todas elas é realmente uma arte, isso requer muita pratica e creio eu que você está disposto desde já a começar. Em muitos aspectos, esse malabarismo todo e complexo até mesmo para os fotógrafos mais experientes.

Sempre tenha em mente que as mudanças de cada elemento não só impacta a exposição da imagem, mas como um impacto sobre os outros elementos do mesmo, isto é, mudando abertura muda a profundidade de campo, mudando o ISO a aumenta ou diminui a granulação da imagem e mudando a velocidade do obturador muda a forma de capturar o objeto.

A grande vantagem das câmeras digitais você pode tirar quantas fotos quiser, sem nenhum custo e aumenta assim sua curva de aprendizagem. Largue o modo automático e começa desde já a fotografar no modo manual.

Leia Mais